Filme

INDIE 2017

Boa sorte ao Indie e aos amantes do cinema revolucionário deste mundo

Assim começa o texto de Francesca Azzi curadora do Festival há 17 anos.

“Há 17 anos nos perguntamos o que queremos ser como um festival de cinema independente. Há 17 anos a resposta parece estar cada vez mais clara. Com as últimas reviravoltas políticas do país, perdemos a inocência. O INDIE se tornou adulto apesar de ainda não ter alcançado sua maioridade. Se antes nos perguntávamos que tipo de festival gostaríamos de ser, sem seguir formatos prontos, sem sofrer com as forças políticas e econômicas que nos colocavam desafios para nossa existência, hoje queremos seguir sendo o que construímos, ao longo do tempo, como ideia, mas sem abrir mão de nossa liberdade curatorial ou do nosso quase “estatuto” de que um festival precisa necessariamente de conceitos e de filmes que questionem e revigorem o próprio cinema. Um festival como o INDIE pensa em cada escolha, e são elas que tecem os meandros de nossa especificidade enquanto um festival.”

Queremos ser o que somos, e do tamanho que somos, não há nenhuma outra intenção aqui que não a de trazer o pensamento contemporâneo sobre o cinema através dos filmes, dos conteúdos dos filmes, dos diretores dos filmes e da história do cinema. Esta é nossa maneira de fazer política. Um festival é em si um ato político – o cinema é algo que pode revolucionar a maneira de pensar do indivíduo, trazê-lo para um mundo mais íntegro que respeita as diferenças individuais e culturais, que complexifica a vida ordinária para trazer à luz a liberdade estética e experimental.  O cinema pode servir a uma experiência libertadora, e abrir para infinitas possibilidades do pensamento.”

O cineasta homenageado este ano foi o francês Philipe Garrel, que nos inspirou com seu cinema intimista. “Marcado pelo preto & branco, pelo silêncio mortal das entrelinhas, por uma música poética ou dramática, e pelo enigma que ilumina a metáfora feminina. E assim será desde sempre.”… Além disso, o espírito de seus filmes dialogam com a proposta de sempre do Indie, de resistir e fazer da forma que seja possível. “Há um consenso entre críticos e teóricos franceses … de que a obra de Garrel poderia ser dividida em dois grandes momentos. Na primeira fase marcadamente mais experimental teríamos os primeiros filmes, que ele mesmo, Garrel, denominaria como realizados nos “anos obscuros” de 1969 a 1979, sem recursos, de maneira mais underground, apoiado pelo grupo de amigos de uma geração que viveu intensamente o maio de 1968 na França.”

O catálogo permitiu conhecer ainda mais o cineastas a partir de vários textos e entrevistas.

Para a identidade de 17 anos anos, bem vividos de forma resiliente e potente, buscamos os detalhes que está no nosso entorno. O que fica ao nosso redor e que nem sempre percebemos. Rastros, fragmentos e sutilezas. Algumas das imagens utilizadas foram produzidas há mais de 7 anos e que agora se revelam para dar vida e trazer o sentimento desta edição.

A marca deste ano parte de letras escritas com pedaços de gravetos e folhas secas. A composição final tratada digitalmente é uma colagem gráfica dessas proposições. A tipografia dos títulos foi uma “typewriter” para remeter ao caráter analógico do texto original. Criamos também um manifesto tipográfico que norteou o processo de criação e a produção fotográfica realizada por Cláudio Santos.

Outra inspiração veio de alguns filmes de Philippe Garrel, onde os papéis de parede com motivos florais aparecem. Eles nos remeteram a uma memória afetiva de elementos que fazem, ou faziam parte da nossas vidas e do nosso imaginário. Daí criamos uma padronagem para a “guarda” do catálogo, a partir de flores secas guardadas por Alessandra Maria Soares por algum tempo. Essa é única parte colorida dos elementos gráficos que produzimos.

Identidade visual, peças gráficas, sinalização, vinheta e website: voltz design
Direção de criação e produção: alessandra maria soares, cláudio santos
Designers: andré travassos, cláudio santos, jenifer abad
Produção gráfica: renato moura
Vinheta: cláudio santos rodrigues (direção), leonardo rocha dutra (animação), bernardo bauer e renato moura (trilha sonora) – voz de emmanuelle riva em liberté, la nuit de philippe garrel.

Categoria: Animação, Editorial, Evento, Experimental, Filme, Identidade Visual, Sinalização, Tipografia em 17/09/2017    


 
Posts Recentes

A Família Dionti – Experiência Transmídia no Polo Audiovisual da Zona da Mata

Através de uma iniciativa do Polo Audiovisual da Zona da Mata / Instituto Fábrica do Futuro foi desenhada a ideia da Aceleradora Transmídia, conectando mídias digitais e educação, com patrocínio da Energisa, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (MG), e parcerias com BH-TEC e Sebrae-MG.

Entre seus objetivos, estão: a expansão da experiência cultural e audiovisual; o desenvolvimento de novos produtos e formatos; a construção de uma plataforma digital de produção e gestão em rede; consultorias e mentorias criativas especializadas; assessorias técnicas, gerenciais e jurídicas; modelagem de novos negócios e mercados; plano de Comunicação Integrada; fórum e redes de relacionamentos; prospecção de investidores e captação de recursos.

O filme “A Família Dionti”, direção do cineasta e Alan Minas e produção da Caraminhola Filmes, foi escolhido para que fizéssemos a ativação  de sua comunicação por seu forte apelo para a área de educação e pela delicadeza no trato de temas como a adolescência, o amor e a morte. A estratégia transmídia aplicada visava ampliar a presença e o alcance do filme, inserindo-o também no mercado da Educação – como experiência-piloto do projeto Plataforma Educativa, do Polo Audiovisual da Zona da Mata – e no Licenciamento de Produtos.

A primeira experiência se deu com Escolas Públicas da região de Cataguases e cidades próximas, onde os alunos cumpriram um Percurso Formativo de Cocriação e Coprodução dos curtas-metragens, em releituras livres do filme. Na sequência, participaram de oficinas e laboratórios coordenados por equipes da Escola Animada e da Cocriativa, com encontros e tutorias presenciais em cada escola participante. O processo de formação se deu também através do PROAR – Plataforma de Produção Audiovisual em Rede, do Polo Audiovisual, onde os coletivos registraram passo a passo suas criações.

A Voltz Design cuidou da ação de comunicação do filme através de uma série de peças gráficas: cartazes, ingresso para sorteio, banners exposto na pré estreia, postal, cartaz, banners para Facebook, arte dos posts, animações, montagem das animações para posts poéticos, artes dos depoimentos (cartelas de crédito, logos etc., para aplicação nos vídeos). Fomos responsáveis também pela construção do site oficial do filme, concebido para desktop e mobile, com desenvolvimento de TI, design, ilustrações, áudios com sons de natureza, gifs animadas e produção de texto

ACESSE O SITE (www.afamiliadionti.com.br):

Participaram da experiência:

Belo Horizonte: Agência 21, Motrix Filmes, Voltz Design e Zap Comunicação
Zona da Mata: Cocriativa, Mutuca Filmes e Picadeiro Digital


Categoria: Filme, Plataforma, Website em 09/06/2017    


 
Posts Recentes

O desmedido, humano – instalação audiovisual imersiva

Voltz / Hermes Pardini _ O Desmedido Humano _

A partir da proposta de desenvolver uma experiência sensorial imersiva sobre o corpo humano e todas as suas peculiaridades, o Hermes Pardini lança a instalação “O Desmedido, Humano” dentro da exposição ComCiência. Foi criado um ambiente que possibilite olhar para o interior do corpo humano, por meio de diferentes sensações.

Ao todo, a exposição tem 17 telas sobrepostas e três grandes projeções em multi-telas cenográficas com tecidos semi-transparentes fragmentados, criando camadas e efeito de profundidade. Imagens de órgãos e elementos em 3D e estruturas captadas por meio de exames de imagem, como cadeias de DNA, batidas do coração, ressonâncias magnéticas e radiografias e são alguns exemplos que estarão representados graficamente.

A Galeria 2 do CCBB está ambientada com puffs para que os visitantes vivenciem essa experiência. Para isso, além das imagens que foram trabalhadas plasticamente, com fragmentação e composição cromática, o coletivo O.ST Trilhas produziu uma trilha sonora original, que remeterá com maior proximidade aos sons internos do corpo humano, misturada com uma sonoridade sintética e poética.

Criada a partir da mistura de instrumentos como guitarra, teclados, gongo e xilofone, e sons de objetos como ventilador, água em uma bacia, cântele, sementes, sintetizadores de vários tipos e sons de máquinas de exames e do corpo humano, os belo horizontinos do Coletivo O.ST Trilhas construíram a trilha sonora da instalação. A concepção do som mescla elementos orgânicos e eletrônicos, que possibilitou uma viagem pelo interior humano. Compreendemos que o som enquanto sentido é um elemento fundamental no cotidiano e também será um guia nessa jornada sinestésica da instalação.

O Desmedido, Humano dialoga com a exposição ComCiência de Patricia Piccinini, que também estará em cartaz no CCBB, uma vez que o fio condutor de ambas é o corpo humano. É uma interpretação lúdica com a Genética, a Citogenética, a Terapia Celular com Células Tronco, o Corpo Humano e o respeito as diferenças.

Veja matéria publicada no site do Hermes Pardini >>

——–

O Desmedido,Humano
CCBB Belo Horizonte – Galeria 2
11 de outubro de 2016 a 10 de janeiro de 2017
Classificação Livre
Entrada Franca
——–
Realização: Hermes Pardini
Concepção: Alessandra M. Soares / Cláudio Santos Rodrigues (Voltz) e Chico de Paula
Coordenação: Alessandra M. Soares e Aline Xavier
Expografia: Isabela Vecci
Produção: Ana Carolina Antunes
Trilha sonora: O.ST Trilhas
Gravação: Leonardo Marques (Ilha do Corvo)
Mixagem 5.1: Ronaldo Gino (La Table Produtora de Som)
Edição de imagens: Henrique Roscoe
Tecnologia audiovisual: Flávio Loureiro e Ricardo Rocha (EAV Engenharia Audiovisual)


Categoria: #voltz20anos, Animação, Evento, Experimental, Exposição, Filme, Instalação em 13/10/2016    


 
Posts Recentes

INDIE 2015 – Vinheta

VINHETA INDIE 2015 from Voltz Design on Vimeo.

A desmaterialização do processo de geração e visualização de imagens exige de alguns a resistência e a urgência como estratégia de sobrevivência. A Vinheta revela o processo de impressão do cartaz do festival, realizado com tipos móveis de chumbo, num lugar que está prestes a não existir mais por conta da aceleração do mundo digital. Aqui se revela uma espécie de magia, da matéria que surge pela força dos braços, pela sujeira da mão, do olhar atento, do cheiro da tinta, do barulho da máquina e dos ruídos do vinil arranhado no antigo aparelho de som. É neste universo que Ademir Matias (o último tipógrafo de BH) trabalha e foi onde ele nos deixou a vontade para fazer o que a gente pretendia.
Estabelecemos uma relação em que os brancos e linguotes do processo tipográfico se assemelham às fitas que estão nas prateleiras da locadora Star Video, um das últimas existentes em BH. Fizemos uma composição com as caixas de DVD, onde a assinatura da vinheta é uma animação em stop motion das fitas em movimento, que ao serem viradas do preto para suas lombadas, revelam o nome Indie, no meio desse universo.
Direção: Cláudio Santos Rodrigues
Animação e Edição: Cláudio Santos Rodrigues, Leonardo Dutra e Vicente França
Design, composição e impressão: Cláudio Santos Rodrigues e Luís Matuto
Fotos e vídeos: Leonardo Rocha Dutra, Sabrina Esmeralda e Vicente França
Trilha Sonora: André Travassos e Vicente França
Captação de som: André Travassos
Produção: Alessandra M. Soares e Renato Moura
Colaboração: Fábio Penido e Marcello Tostes
Agradecimentos: Ademir Matias (Tipografia Matias) e Randolfo (Star Vídeo-BH/Delta Vídeo e Vendas- Divinópolis)
Realização: Zeta Filmes
®Voltz – voltzdesign.com.br


Categoria: Animação, Evento, Experimental, Filme, Mostra, Tipografia, Voltz em 22/08/2015    


 
Posts Recentes

indie 15 :: relato do processo 02

Terça-feira: dia 15.07.15 // Star Vídeo // Bairro Vila Paris
A conexão entre a tipografia e as locadoras acontecem por serem lugares onde a desmaterialização está gerando um efeito que modifica o sentido destes espaços.

A Star Vídeo está na Praça José Cavallini há mais de 25 anos e é talvez uma das poucas existentes na grande BH. Possui um acervo de aproximadamente 12.000 DVDs e Blu-Ray. Sérgio Penido foi proprietário por 20 anos. Hoje arrendou e quem está à frente é Randolfo, que trabalhou em estúdio de cinema em NY, foi representante de filmes e também é dono de uma locadora em Divinópolis, a Delta Vídeo e Vendas, com um acervo de mais de 50.000 títulos.

Durante os dias em que ficamos imersos produzindo a animação, pudemos perceber como as pessoas que ali frequentam criam uma relação de proximidade com Randolfo e entre elas, ao trocar conversas, analisar e sugerir filmes, pedir informações, etc. Um trabalho de curadoria e de escolhas que estabelece um universo rico de trocas e de relacionamento social.

Outra relação que estabelecemos foi a de que os brancos e linguotes da tipografia se assemelham às fitas que estão nas prateleiras. Fizemos uma composição com as caixas de DVD, onde a assinatura da vinheta será uma animação em stop motion das fitas em movimento, que ao serem viradas do preto para suas lombadas, revelam o nome Indie, no meio desse universo.

Animação, fotos e vídeos: Cláudio Santos Rodrigues, Leonardo Dutra e Vicente França
Colaboração: Fábio Penido
Agradecimento: Randolfo (Star Vídeo-BH/Delta Vídeo e Vendas- Divinópolis)
Realização: Zeta Filmes

Categoria: Animação, Evento, Experimental, Filme, Mostra, Tipografia, Video em 15/07/2015    


 
Posts Recentes

Voltz 2014 + 2015

PROJETOS

O ano de 2014 foi intenso e ligeiro. Tivemos grandes conquistas profissionais, que permitiram realizar significativos projetos nas mais diversas formas de atuação do design – gestão, estratégia, informação, interface, identidade, editorial, sinalização, audiovisual – através de plataformas de redes digitais educativas e de informação, sistemas interativos para museus e na web, campanhas e eventos no segmento de moda e audiovisual.

EXPERIMENTAÇÕES E ARTIGOS

Foi também um ano de realização e reconhecimento de projetos artísticos, assim como de análise e reflexão sobre alguns projetos, registrados e publicados em forma de artigo acadêmico. Um deles, a respeito de uma Rede de História e Espaço Memória, projeto que desenvolvemos em 2013 para ao BDMG, apresentado no principal evento de Design do Brasil (11º P&D Design em Gramado). Outro artigo tratou dos desdobramentos de uma instalação audiovisual que desenvolvemos no âmbito do projeto Trem da Vale. Foi analisado de que forma diferentes artefatos de memória, que se desdobraram dessa instalação, podem contribuir para o resgate do patrimônio cultural da tipografia em Mariana e Ouro Preto.

No final do ano foi possível ainda compartilhar a riqueza cultural do Jequitinhonha, a partir de uma leitura cultural feita pelos tipos móveis e impressos de um tipógrafo do Vale, apresentado no Seminário Internacional Design e Semiótica da UEMG.

Acesse o artigo apresentado e publicado no P&D Design >>

Acesse o Artigo da Revista DAT 9 da Universidade Anhembi Morumbi SP >>

PRINCIPAIS PROJETOS E RECONHECIMENTOS em 2014

PLATAFORMAS – Desenvolvimento, gestão estratégica e de conteúdo
> CASA DA ECONOMIA CRIATIVA SEBRAE – Criação, desenvolvimento, gestão de conteúdo e análise de métricas para plataforma web (BH)
> POLO AUDIOVISUAL ZONA DA MATA MG – Criação, desenvolvimento de plataforma web e de Guia de Profissionais e Serviços – GPS / Escola Animada – Blog  Educa (Cataguases)
> INHOTIM – Desenvolvimento de APP – Aplicativo android para Rede Educativa e Interface de visualização e relação de dados (BH/Brumadinho)
FUNDAÇÃO ARCELOR MITTAL – CTRL CULTURA E ESPORTE –  Idealização, desenvolvimento de plataforma digital para gestão do investimento de projetos incentivados. (BH)

EXPOSIÇÕES – Identidade Visual, sinalização, mesas interativas e publicações
>  EXPOPROJECÃO – SESC Pinheiros e Fundação Clóvis Salgado. (SP/BH)
>  FLUXUS – Exposição Slow Cinema na Fundação Clóvis Salgado e projeto gráfico para o Livro do Cineasta Coreano Apichatpong Wheresetakul (Editora Iluminuras / Oi Futuro) (BH/RJ)
> MUSEU HISTÓRICO ABÍLIO BARRETO – 3º Sinal / BH em Cena – A trajetória do Teatro em nossa cidade (BH)
> LAGOA DO NADO – Tradição e Resistência: sujeitos, práticas e memórias da cultura popular em Belo Horizonte
> O GRIVO – Objetos de  Medida – Palácio das Artes (BH)

FESTIVAIS
>  INDIE – Mostra de Cinema Mundial (BH/SP)

INDIE 2014 – Vinheta BH from Voltz Design on Vimeo.

>  FOTO EM PAUTA - Festival Internacional de Fotografia (Tiradentes – MG)
>  SACI –  Sociabilização, Arte e Cultura na Infância (BH e Itinerâncias)

AUDIOVISUAL
>  BOTHÂNICO – Criação de aquarelas e animação gráfica
>  FUNDAÇÃO VALE -  Concepção e aplicação de oficina de Animação no âmbito do Projeto Trem da Vale. (Mariana)

Contos da Mina – A Passagem from Voltz Design on Vimeo.

IDENTIDADE E LOJA VIRTUAL
> TOOL BOX – Evoluções na loja virtual e design de frota de veículos e padronagens para embalagens

EVENTOS
> FUMEC – Produção executiva, direção de arte e design para o TCC do Curso de Design de Moda – 19ª e 20ª Edições

20º Fumec Forma Moda from Voltz Design on Vimeo.

CAMPANHAS DE MODA
> VIDE BULA, ÁGUA FRESCA e REGINA SALOMÃO

VBINV15 MK04 from Voltz Design on Vimeo.

PROJETOS ARTÍSTICOS
> O URRO – Animação de ilustrações de Lelis para espetáculo teatral Multimídia dirigido por Carlos Rocha e Gil Amâncio (BH)
> SINFONIA PARA UMA CIDADE JARDIM – Instalação Audiovisual no Prédio Verde / Praça da Liberdade (BH)

RECONHECIMENTO
> Prêmio Concurso Cultura 2014 – MINC – BH em parceria com o Fotógrafo Julio Toledo - Concepção e realização de Sinfonia  durante a copa do mundo.
> Tipos Móveis – Participação na mostra competitiva do Anima Mundi 2014 e Menção Honrosa no Festival MUMIA - BH / SP / RJ
> Selecionado para o BID – Bienal Interamericana de Design com o projeto de Retroprojeção Localizada para a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais – Madrid – ESPANHA

EDUCAÇÃO
> Identidade Visual e comunicação do Instituto Ouro Verde – Criamos de forma colaborativa toda identidade visual e material gráfico para uma nova escola orientada pela Pedagogia Waldorf (Nova Lima)
> Publicação de 3 artigos e participação no Seminário Internacional de Design e Semiótica, promovido pela UEMG.

Para 2015 estamos inciando novos projetos e caminhando rumos aos próximos 20 anos!!! Aguardem novidades.


Categoria: Animação, Arquivo, Editorial, Evento, Experimental, Exposição, Fashion, Filme, Internet, Mostra, Museus, Música, Performance, Sinalização, Tipografia, Video, Voltz em 20/01/2015    


 
Posts Recentes

Design Audiovisual, uma das vocações da Voltz.

CINE MAGAZINE from Voltz Design on Vimeo.

Entrevista com Cláudio Santos Rodrigues, para o programa da Rede Minas – Cine Magazine. É retratada a vocacão da Voltz com o design audiovisual e a parceria com Leonardo Rocha Dutra e Lucas Miranda, diretores da instalação Tipos Móveis em Mariana, que se desdobra no vídeo Tipoema – Movimento UM. O vídeo premiado em Hong Kong, foi exibido no Anima Mundi e no Mumia, 2014. Assista a entrevista abaixo.


Categoria: Animação, Filme, Video em 19/12/2014    


 
Posts Recentes

indie 2014 – Um passeio pelas ruas

INDIE 2014 – Mostra de Cinema Mundial. Uma sequência de fotos que revela a cidade ao percorrer o trajeto dos antigos cinemas de rua que já não existem mais e que se misturam ao cenário caótico do dia-a-dia. Um passeio pela latitude e longitude desses lugares que permanecem como ruína, ou que viraram centro de compras, igrejas e estacionamentos. Uma ressignificação dos espaços de entretenimento, lazer, imaginação, ilusão e transcendência.

INDIE 2014 – Vinheta BH from Voltz Design on Vimeo.

Ficha Técnica
Direção: Cláudio Santos Rodrigues
Fotos: André Travassos, Cláudio Santos Rodrigues e Luís Matuto
Animação: Leonardo Rocha Dutra
Trilha sonora: OST Trilhas
Produção: Voltz Design
Realização: Zeta Filmes


Categoria: Animação, Evento, Experimental, Filme, Video, Voltz em 30/08/2014    


 
Posts Recentes

Sinfonia para uma Cidade Jardim

Instalação audiovisual leva visitante a interagir com paisagens culturais de BH durante uma surpreendente experiência sensorial

A instalação audiovisual “Sinfonia para uma Cidade-Jardim” é um projeto do fotógrafo Júlio Toledo, vencedor do prêmio nacional “Concurso Cultura 2014″ realizado pelo Ministério da Cultura. A exposição começa no dia 15 junho e fica aberta durante um mês no segundo andar do Prédio Verde na Praça da Liberdade. No local funciona o Centro de Atendimento ao Visitante do Circuito Cultural Praça da Liberdade. A Voltz é parceira na concepção e na realização da Instalação.

A exposição consiste na projeção de fotos e de vídeos em quatro grandes telas dispostas numa sala escura. Essas telas vão exibir imagens da natureza representada por diversas florações, sobretudo dos ipês – flor-símbolo do Brasil – em harmonia com o patrimônio histórico e diferentes tipos de arquitetura que traduzem o título de “cidade-jardim” concedido a Belo Horizonte. Os cenários são ruas, praças, avenidas, prédios emblemáticos, a Serra do Curral, dentre tantos ingredientes de uma paisagem cultural.

Resultado de uma parceria entre Júlio Toledo e a Voltz Design, a instalação estimula o público a vivenciar uma experiência imersiva e surpreendente. O visitante vai caminhar entre as telas como se estivesse andando pela própria “cidade-jardim”, contemplando lugares de rara beleza ao som de uma trilha sonora original. Em cada frame registrado, o fotógrafo busca aguçar a percepção das pessoas para “lugares especiais” criados pelo encontro da arquitetura e do paisagismo notáveis. “No dia a dia, as pessoas passam distraidamente por essas belezas sem que ninguém as contemple pela falta de tempo e pelo frenesi típico de uma metrópole”, revela o artista. Assim, como um  “flaneur”, Júlio compartilha a descoberta de lugares de afetos por meio da visibilidade fotográfica que percorre a cidade, registra e devolve a cena.


Período: de 15 de junho a 15 de julho

Horário de Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h. Quinta-feira, das 10h às 21h.

Local: 2º andar do Prédio Verde – Circuito Cultural Praça da Liberdade

Entrada gratuita


CONCEPÇÃO / CONCEPT
Júlio Toledo e Cláudio Santos Rodrigues

DIREÇÃO E FOTOGRAFIA / DIRECTION AND PHOTOGRAPHY
Júlio Toledo

DIREÇÃO DE ARTE / ART DIRECTION
Cláudio Santos Rodrigues

TEXTOS / TEXTS
Flávio Carsalade

EDIÇÃO E ANIMAÇÃO / EDITING AND ANIMATION
Cláudio Santos Rodrigues, Leonardo Dutra e Roberto Bellini

TRILHA SONORA / SOUNDTRACK
André Travassos, Bernardo Bauer e Renato Moura (O.ST Trilhas)

MIXAGEM / MIX
Ronaldo Gino (Serrassônica)

VOZES / VOICES
Alessandra Maria Soares e André Travassos

CITAÇÕES / QUOTES
Charles Baudelaire, Fernando Pessoa, Flávio Carsalade e Leonardo da Vinci

TRADUÇÃO / TRANSLATION
Ângela Kaminski e Edésio Fernandes

IDENTIDADE VISUAL / VISUAL IDENTITY
Voltz Design

PRODUÇÃO / PRODUCTION
Aline X e Débora Oliveira (88 Produções)

PROJETO AUDIOVISUAL / AUDIOVISUAL PROJECT
EAV Engenharia

TÉCNICO DE VÍDEO / VIDEO TECHNICIAN
Gledson Ferreira de Assis

MONITORES / TRAINEE
Dayane Ferreira e Samuel Oliveira

ASSESSORIA DE IMPRENSA / PRESS
Soul Press

ASSESSORIA JURÍDICA / LEGAL ASSISTANCE
Shirley Castro

REALIZAÇÃO / REALIZATION
Júlio Toledo e Voltz Design


Categoria: Evento, Experimental, Filme, Video, Voltz em 13/06/2014    


 
Posts Recentes

Indie 2013 – Processo

A identidade visual do INDIE 2013 – Mostra de Cinema Mundial, teve como  característica o resgate de uma antiga tecnologia e ofício. Os letreiros de neons fazem parte do nosso imaginário, desde as placas comercias que iluminavam Belo Horizonte, até as fachadas de cinemas e de motéis. Essa referência se conecta com o universo dos cineastas que representam a retrospectiva. Wang Bing vem da China, onde o neon ainda faz parte do dia-a-dia. Jean Claude Brissou nos trás um cinema francês que dialoga com a sensualidade do neon.

A primeira etapa do processo foi o trabalho de “virar” e moldar o vidro no laboratório do Edésio. Um profisssional que trabalha há 15 anos fazendo diversos tipos de placas, ofício que aprendeu com um egípicio. Por mais de 3 horas ficamos conversando sobre o processo e de como se tira o ar, para encher de gás e que a partir de uma corrente elétrica e um transformador se gera a luz.


No dia seguinte fomos recebidos por Bruno e Geraldinho da Placas Leo, que fizeram a montagem do neon na estrutura. De forma muito cordial nos cederam o espaço das oficinas para a produção de fotos que foram utilizadas em todo material gráfico. Além disso, gravamos também as imagens para a vinheta.

No dia seguinte, fomos até o Retiro das Pedras gravar a trilha. Uma tarde maravilhosa, com uma luz indescritível, que inspirou os climas, texturas e sonoridades que compuseram a trilha sonora para a vinheta. De lá também saiu uma “jam session” que gerou uma composição sonora para o vídeo de making of.

Ficha técnica:
Direção de Criação e Produção: Alessandra Maria Soares e Cláudio Santos Rodrigues
Fotos e Vídeos: Cláudio Santos Rodrigues e Leonardo Rocha Dutra
Trilha Sonora: André Travassos, Bernardo Bauer, Leonardo Rocha Dutra e Renato Moura
Designers: André Travassos e Thiago Karu
Produção da Placa de Neon: Leo Placas e Edésio
Agradecimentos: Bruno e Geraldinho (Leo Placas), Edésio e Rodrigo Minelli

Categoria: Evento, Experimental, Filme, Mostra, Música, Sinalização, Video, Voltz em 21/08/2013    


 
Posts Recentes