Internet

São João Nepomuceno no caminho da economia criativa.

O projeto CIDADE DA MÚSICA é uma iniciativa de um potente grupo de profissionais locais do setor musical, em parceria com o Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais e a Associação de Música no Interior (AMI). A ideia é diversificar a economia da cidade e fortalecer a integração de profissionais da música e do audiovisual da Zona da Mata Mineira.

Aconteceram várias ações culturais, como serestas, “lives” musicais, encontro de compositores, mostras de música instrumental, workshops, rodas didáticas de choro, entre outras atrações. Para viabilizar esta intensa programação, o projeto já nasce com a força de importantes parcerias, reunindo os setores do audiovisual e da música à diversas instituições públicas e privadas. O patrocínio é do grupo ENERGISA através da Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo do Governo de Minas Gerais. Por meio de uma nova parceria, entre a Prefeitura Municipal de São João Nepomuceno e o SEBRAE-MG, o projeto irá realizar também um estudo para mapear o quadro profissional do setor musical local, identificar o potencial de toda uma cadeia produtiva de serviços e fornecedores. Uma ação que garante uma base essencial para um plano de longo prazo, que tem como objetivo principal promover a Economia Criativa da Música.

FÓRUM CIDADE DA MÚSICA. O 1º Fórum Cidade da Música é um palco especial para refletir e celebrar a música como vetor de construção de um arranjo regional criativo e produtivo, capaz de ser inovador e indutor de um novo ciclo de desenvolvimento de São João Nepomuceno e região da Zona da Mata de Minas Gerais. Um vibrante ambiente de encontro entre profissionais de diversas áreas do cenário musical, do setor audiovisual e da economia criativa, que integram uma programação intensa de palestras, entrevistas, mostras audiovisuais e shows musicais.

VIDEOCLIPE TREM DO FUTURO. As imagens gravadas em estúdio, precisavam dialogar com a sensibilidade da pintura digital sobre filmes antigos e de internet.

Trabalhamos sobre os preceitos da cultura remix, através da criação de novos climas e inserção de novos elementos gráficos, cores, texturas e sobreposições.

Ficha Técnica:

Música Original: Trenzinho Caipira de Heitor Villa-Lobos
Composição: Emmerson Nogueira e Ricardo Itaboray
Violão, Voz, Baixo, Guitarra: Emmerson Nogueira
Voz, Acordeon, Teclados: Ricardo Itaborahy
Voz: Érica Alves
Idealização e Produção Executiva: Cesar Piva
Direção e Montagem: Cláudio Santos Rodrigues
Animação em Rotoscopia: Leandro Silveira
Gravação e Edição das Cenas de Estúdio: Aldo Torres (áudio) e Junior Detone (vídeo)
Parcerias: Estúdio Versão Acústica e Fábrica do Futuro com a Prefeitura Municipal de São João Nepomuceno, Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata MG, Sebrae, Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho e Grupo Energisa
Animações inspiradas a partir de cenas dos filmes Ganga Bruta e Canto da Saudadedo cineasta Humberto Mauro

Página do Projeto >> http://www.poloaudiovisual.tv/title/1o-forum-cidade-da-musica/


Categoria:
Animação, Audiovisual, Evento, Experimental, Identidade Visual, Internet em 18/12/2020    


 
Posts Recentes

INDIE 2020 – ONLINE

A IDENTIDADE GRÁFICA E AUDIOVISUAL

Nesta edição do INDIE FESTIVAL, a identidade visual partiu da necessidade de se adequar a este momento de pandemia/quarentena. A curadoria e nós refletimos muito sobre o apego à presença, ao significante “cinema” , aquele da sala escura, dos cheiros, da companhia, dos amigos e da movimentação que um festival causa. Os cinemas como espaço físico e metafísico que não podem morrer! Porém essa adaptação se fez necessária, porém a de familiaridade com o digital da Zeta Filmes, existe há 20 anos. Em 2000 foi criado um festival de cinema online, o primeiro do Brasil que se chamava Brasil Digital, e depois se tornou o Fluxus (festival Internacional de cinema na Internet) que durante anos foi um festival com competição e votação online para filmes curtos no mundo inteiro… Ou seja para a ZETA FILMES, o Fluxus era este acesso de, certa forma, democrático para filmes experimentais e em formatos curtos e para o cinema expandido, no espaço das galerias e museus de arte. A Voltz está junto nessa jornada desde então, desenvolvendo esses sites, pois nascemos junto com o início da internet e do início da digitalização do mundo.

A urgência do mundo digital tem nos trazido uma nova forma de relacionar e produzir. Tem sido assim, neste ano de 2020 em quase tudo. As coisas parecem fragmentadas em seus processos, na forma de entender, apresentar e de comunicar. Começamos nas videoconferências, pulamos pro zap, recorremos ao email, voltamos para o zap, conversamos por voz, etc. Montamos um grupo, outro derivado, outro sobre questões específicas e por aí comentários ficam nas nuvens e se perdem. Essa multiplicidade de meios e formas talvez tenha nos tirado algo, talvez faça que falas e aspectos importantes se percam e não se materializam num processo que acostumamos para a construção e produção conceitual, formal e do conhecimento.

É preciso revisitar os rastros e registros desses fragmentos com isso reorganizá-los (quando eles ficam ou quando conseguimos achá-los). Mas isso exige tempo, dedicação, cuidado, vontade. As novas demandas e urgências nos tomaram um tempo precioso para que seja possível fazer os detalhes e as sutilezas serem perceptíveis e revelados com mais intensidade. Talvez o distanciamento presencial tenha diminuído a nossa capacidade de se conectar com o campo sutil, que às vezes nem percebemos, mas que está ali, através do cheiro do café, de pequenos olhares e gestos, a visão ampla de um ambiente, um olho no olho, um abraço apertado e aperto de mão antes e depois de uma reunião. Parece que algo nos foi tirado e com isso uma sensação do vazio e de que a ALMA das coisas tenha se perdido. Mas esse é o espírito desse tempo. E é nele que estamos agora. Mas é com tudo isso também que podemos procurar os “nós” e deixar um registro que carregue essa intensidade.

SOBRE O SITE / PLATAFORMA: http://www.indiefestival.com.br/2020

O festival será todo online com sessões marcadas e únicas como em qualquer festival de cinema, (o formato escolhido reproduz um pouco dos festivais presenciais com sessões e programação), vc entra (faz seu cadastro/login) e assiste o que está passando naquele horário. Durante os oito dias do festival as sessões começarão a partir das 15 horas, e o site terá cerca de 8 horas diárias de cinema. Os filmes terão sessões e limites de views/espectadores que variam de 200 a 800 por sessão, portanto, fora do horário das sessões ou se alcançar o limite de visualizações, os filmes ficarão indisponíveis. São filme inéditos no Brasil que ainda podem vir a ser lançados nos cinemas, após a pandemia da Covid-19.

REFLEXÕES ACERCA DA SÍNTESE ÁUDIO-GRÁFICO-MOVENTE DO INDIE 2020 / ONLINE

Com um olhar atento e múltiplo que pode ajudar a revelar o que ainda só esteja escondido, trabalhamos na vinheta, que chamamos de síntese áudio-gráfico-movente. Sobre a animação faltava dar um destaque para os ícones que formam a logo e sobrepor as camadas de cor e os letterings. Fazer pequenas “aglomerações” que permitissem ter mais sensações gráficas dos tipos e das cores que ao se encontrar promovem diferentes percepções.

Sobre o áudio, a partir dos comentários, de um ouvir sensível da Alessandra M. Soares, e das conversas entre Cláudio Santos, Fabiano Fonseca  e Leonardo Rocha Dutra, fomos interferindo e maturando a trilha, sugerindo um ruído aqui, uma batida ali, e eles chegaram em 3 resultados, que tem uma base comum e características próprias. Todas terminam com o burburinho de pessoas, remetendo ao ambiente da sala de cinema antes de cada sessão.

Nesse ambiente digital, a possibilidade de muitas ferramentas estarem nas nossas mãos, nos permitem ter um certo controle sobre coisas, que antes não nos cabiam. Estamos agora em múltiplos lugares e fazendo mais coisas. Seja dando aula-online, onde a sala de aula é uma plataforma, ou preparando um festival, onde quem controla a exibição e distribuição é também que cria e faz a curadoria, ou produzindo a identidade gráfica que tem que se fazer presente mais ainda sobre os excessos de conteúdos audiovisuais existentes.

Créditos vinheta Indie 2020:

Créditos vinheta Indie 2020:

Créditos vinheta Indie 2020:
Direção: Cláudio Santos Rodrigues
Animação: Leonardo Rocha Dutra
Trilha Sonora: Fabiano Fonseca


Categoria: Animação, Audiovisual, Experimental, Festival, Identidade Visual, Internet, Plataforma, Presença Digital, Sem categoria, Video, Website, campanha em 18/10/2020    


 
Posts Recentes

Plataforma de exibição de filmes – poloaudiovisual.tv

O “Movimento ENERGIA DO BEM de Combate ao Coronavirus” e o Polo Audiovisual da Zona da Mata Minas Gerais lançam um canal de filmes na internet, exibidos gratuitamente. A Mostra CINE FIQUE EM CASA  será hospedada na plataforma online www.poloaudiovisual.tv com dezenas de produções realizadas por diretores consagrados e uma nova geração de talentos, premiados em festivais no Brasil e no exterior.

Na programação, obras de ficção, documentários e animação com temática atraente para o público infantil, juvenil e adulto. São produções realizadas no âmbito do Polo Audiovisual em Minas Gerais e em outras regiões do país, que contaram com o apoio e patrocínio da Energisa e da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho.

A partir de agora, a cada sexta-feira, novos filmes, séries, videoclipes estarão disponíveis para o público. A programação será completada ainda com edição de uma série de programas sonoros, gravados no formato de “podcast”, com temas emergentes e participação de artistas, produtores, empreendedores e convidados especiais, bem como, vídeos com depoimentos de incentivo e promoção de iniciativas e mobilização de recursos no Brasil e no mundo.

“VEJA FILMES, SEJA SOLIDÁRIO E FIQUE EM CASA”

A iniciativa vem ao encontro de milhares de outras ações solidárias que despontam em todo o país e no mundo, buscando estimular o isolamento social tão necessário para enfrentar a gravidade da pandemia de Coronavírus. Nossa intenção é entreter pessoas e famílias, ampliar imaginários, crenças, sentimentos, gerar boas energias e atitudes solidárias, para superar esse momento e construir novos futuros.

Neste momento nos unimos ao “Movimento ENERGIA DO BEM de Combate ao Coronavírus”, liderado pelo Grupo ENERGISA junto a uma ampla rede de cooperação envolvendo diversas instituições em todo o país. Uma ação emergencial de combate e prevenção que atua em várias frentes: compra de equipamentos e de materiais de proteção para UTIs e obras em hospitais regionais; ação de incentivo à adesão voluntária de funcionários na captação de recursos para auxílio às casas de idosos; programas de Educação para juventude e cursos profissionalizante.

O canal na internet terá a duração de três meses e foi desenvolvido pela equipe do Instituto Fábrica do Futuro em parceria com a Samba Tech, uma das mais seguras e reconhecidas empresas de infraestrutura para vídeo online no Brasil, bem como, contou com o apoio de artistas, diretores e empresas produtoras dos filmes. Uma ação inédita para nós do Polo Audiovisual, de alcances ainda não imaginados, mas que temos uma certeza: poderá fazer diferença na vida de muitas pessoas nesse momento tão delicado para o Brasil e o mundo.

ACESSE: www.poloaudiovisual.tv


Categoria: Aplicativo, Identidade Visual, Internet, Plataforma, Presença Digital, Video em 15/04/2020    


 
Posts Recentes

Roteiro – Design – 2011

Antes da realidade das lives, uma conversa sobre roteiro e design em diversas plataformas. Terminais multimídia, Displays de Led e a primeira Árvore de Natal animada do mundo!


Categoria: Animação, Aplicativo, Arquitetura, Audiovisual, Evento, Exposição, Instalação, Internet, Museus, Video em 21/01/2020    


 
Posts Recentes

Projeto transmídia com uso de Realidade Aumentada no Festival MARTE 2019 com JANDIG / Escola de Design/UEMG

Um dos organizadores do Festival Marte 2019 – Erick Krulikowski – trouxe uma proposta inovadora de sinalização e de valorização da identidade territorial para o evento que acontece dos dias 25 a 28 de julho em Ouro Preto. A ideia foi a de promover uma experiência de produção de conteúdo em realidade aumentada para ser exibida durante o festival, a partir de uma conexão entre o projeto JANDIG com o curso de Design Gráfico da ED/UEMG, através dos 67 alunos de graduação, que estão no 7º período cursando a disciplina MPP4, ministrada pelo professor Cláudio Santos Rodrigues, que também é diretor da Voltz.

Ao longo do 1º semestre as alunas e alunos do turno da manhã e da noite tiveram uma etapa de fundamentação teórica e se prepararam para lidar com questões relativas ao desenvolvimento de uma animação aplicada em uma mídia nativa e acionada a partir de um marcador impresso através de dispositivos móveis. Para isso, contaram com a orientação coletiva do professor e do VJ pixel (idealizador do Jandig), da mediação de Hebert Valois (responsável pela implementação e produção gráfica) e também com tutoria do aluno Ivan Castro, recém-formado na Escola de Design. Optou-se por dividir as turmas em grupos de no máximo 5 integrantes, onde cada coletivo tinha o desafio de desenvolver um roteiro, os marcadores e as micro animações de até no máximo 20 segundos, tendo como referência as especificações apresentadas em sala de aula pelo VJ pixel. Cada grupo fez uma pesquisa histórica dos locais selecionados, com o objetivo de apresentar ideias que fossem para além das informações turísticas. As avaliações das etapas desenvolvidas pelos alunos eram validadas em reuniões virtuais, onde eles recebiam novas instruções que deveriam ser apresentadas nas aulas seguintes.

Como o Festival MARTE já veio com o propósito de ocupar três pontos turísticos da cidade de Ouro Preto, a ideia final foi de se criar um percurso narrativo junto aos 9 lugares de importância histórica que foram mapeados ao longo desse trajeto: Museu da Inconfidência / Igreja de Nossa Senhora do Carmo / Casa da Ópera / Cine Vila Rica / Casa dos Contos / Antiga Casa de Tiradentes / Igreja São José / Casa do Tipoeta Guilherme Mansur / Igreja do Rosário.

O resultado gerou um rico processo para os alunos e para todos que participaram, pois foi desenvolvido um projeto real, que usou a tecnologia de realidade aumentada, dialogando com os princípios do design audiovisual expandido que são aplicados na disciplina. O projeto Jandig proporcionou aos jovens designers um outro modo de projetar, produzir e propagar suas ideias junto ao repertório de exposições no ambiente digital do projeto.

Já o Festival proporcionou uma nova experiência de sinalizar e informar o público no deslocamento entre as atrações, através do acesso a conteúdos históricos com uso dos celulares,
de forma lúdica e inovadora.

———–

Para validar os textos e aprovação da narrativa urbana, o projeto foi apresentado ao tipoeta @guilhermemannsur numa frio manhã de domingo em Ouro Preto. Ele testou o sistema e viu o seu casarão em Realidade Aumentada, através dos tipos em movimento.

A sinalização foi incorporada ao território, e o Jandig permitiu que os smartphones fossem usados para ler marcadores, que são desenhos fixos colocados em diferentes pontos da cidade. Os marcadores e os cartazes que continham a descrição do local e a ideia da animação, foram distribuídos em placas próximas aos pontos citados.

Foi realizada uma visita guiada pelo percurso com os realizadores e convidados no dia 27.07.2019 (Sábado). O encontro partiu do Museu da Inconfidência às 16h30, passou pela casa de Guilherme que nos esperava na sacada de sua casa no Largo do Rosário e terminou com uma roda de conversa com vista do por-do-sol na Igreja São José.

Para disparar as animações basta acessar o App oficial através dos links:
https://jandig.app/
https://jandig.app/marte2019/

O Marte Festival aconteceu de e 25 a 28 de julho de 2019 – Ouro Preto – MG
https://martefestival.com.br/
instagram.com/martefestival/

Vida longa ao Jandig, ao Marte e à Universidade Pública de MG!!!

Cláudio Santos Rodrigues (Professor da ED-UEMG ) – http://ed.uemg.br
VJ pixel (Idealizador do Jandig) – instagram.com/jandig.art/


Categoria: Animação, Aplicativo, Evento, Experimental, Exposição, Festival, Instalação, Internet, Palestra em 15/07/2019    


 
Posts Recentes

Voltz 2018

Recorte das Soluções audiovisuais / transmídia realizado ao longo dos 22 anos da Voltz e apresentada no MAX Audiovisual Expo. Agradecimento especial aos antigos e novos parceiros que estão juntos da gente ao longo de todos estes anos!


Categoria: #voltz20anos, Animação, Aplicativo, Arquitetura, Arquivo, CD / DVD, Curadoria, Curso, Editorial, Evento, Experimental, Exposição, Festival, Filme, Gastronomia, Identidade Visual, Instalação, Internet, Moda, Mostra, Museus, Música, Oficina, Palestra, Performance, Plataforma, Publicações, Sinalização, Sistema, Tipografia, Video, Voltz, Website, campanha em 21/01/2019    


 
Posts Recentes

Vale das Palmeiras Orgânicos

A Vale das Palmeiras está de cara nova,  mas sem perder os valores que sustentam sua vocação! Uma história de mais  de vinte anos, que se renova dia após dia, na busca por uma alimentação mais consciente e sustentável!

A Voltz se juntou nessa causa com a Vale das Palmeiras há quase 2 anos. Participamos ativamente dessa trajetória de mudança que vai da identidade visual, à criação de novas embalagens e da manutenção estratégica da presença digital. Relembramos essa trajetória, iniciando pelo contato que veio através do pesquisador Joaquim Araújo, também conhecido como Quincas, que fez seu doutorado em Ecologia, Conservação e Manejo da Vida Silvestre pela UFMG, que junto a outros pesquisadores da conservação criou o Instituto Biotrópicos. Conhecemos Quincas quando desenvolvemos o projeto para a Rede Educativa Inhotim, época em que ele era também o diretor do Jardim Botânico do Inhotim.

A partir de um longo período de encontros, reuniões, conversas, percebemos que compartilhávamos de valores semelhantes. Tanto a Alessandra e o Cláudio (Voltz), como Quincas (através da Biotrópicos e Campeira) e Marcos Palmeira (Vale das Palmeiras) traziam na bagagem 19 anos de experiência e muito trabalho relacionado ao universo  de boas causas junto  ao meio-ambiente, da alimentação saudável ligada a produção de alimentos orgânicos. Dessa forma, vimos que juntos poderíamos contribuir com um projeto de médio prazo, onde teríamos o desafio de pensar longe,  a partir de ações pontuais, além de lidar com um artista reconhecido tanto por seu trabalho de ator, como também por suas ações pioneiras no mundo da produção de orgânicos.

ECOSSISTEMA VALE DAS PALMEIRAS

Como metodologia de trabalho desenvolvemos um mapeamento do Ecossistema da Vale, através de um infográfico que permitia ter uma visão sistêmica e holística de tudo que já vinha sendo construído ao longo destes anos. Com essa visão geral, conseguimos acessar os processos e as relações existentes. Era uma realidade complexa que necessitava de uma reorganização. Foi necessário reduzir e potencializar a presença digital ativando lugares distintos para Marcos Palmeira ator e pessoa física, além de unificar o projeto Vale das Palmeiras (Armazém e Fazenda). Também criamos e ativamos um grupo aberto e público no facebook (Rede Orgânicos Brasil) com a intenção de  aproximar pessoas com os mesmos interesses. A Rede, hoje, conta com mais de 1300 pessoas, desde produtores, consumidores e interessados neste universo.

NARRATIVA DOS 5 ELEMENTOS

Em 2017, após uma imersão de 2 dias com toda equipe na Fazenda, localizada em Teresópolis, partimos para um plano de trabalho que dialogasse com o conceito dos 5 elementos. Além da criação de uma paleta de cores para cada área, estabelecemos relações ligadas a cada propósito de atuação. Transportamos esses princípios para narrativa que seria contada nas redes sociais (facebook e instagram) ao longo do ano.

PLANEJAMENTO DE PUBLICAÇÕES, ANÁLISE DE MÉTRICAS E PRODUÇÃO FOTOGRÁFICA
Para cada mês fizemos um planejamento baseado no diagrama dos 5 elementos. A  partir da análise de métricas e de um estudo sobre a maior frequência de tipos de imagens, em negócios correlatos, começamos a dar destaque aos produtos em diálogo com os elementos que fortalecessem a essência da marca: imagens da fazenda, bucolismo rural, rio de janeiro com enfoque nos enquadramentos da região do jardim botânico, gávea, mata da tijuca, enaltecendo a beleza natural pujante da cidade do rio (menos praia e mais floresta). A análise de métricas, realizada por Gustavo Baldez, nos mostrou uma evolução de participação, incluindo aí interações mais qualificadas. Entretanto, apontou para necessidade de maior esforço em engajamento, a partir de temas que despertassem atenção e provocassem interação. Vale ressaltar que as publicações com maior desempenho foram aquelas onde apareceram pessoas relacionadas aos ofícios da terra junto aos produtos.

Em relação à produção de imagens, partimos, inicialmente, utilizando o banco de dados do fotógrafo carioca Ronaldo Nina em diálogo com fotos que tiramos nas visitas à fazenda, produções conceituais de produtos realizadas por Alessandra Maria Soares e com destaque para vídeos realizados pelo próprio Marcos e por Gabi Gastal, assim como de fotos enviados diretamente da fazenda pelo agricultor Fernando Viana.

IDENTIDADE VISUAL, EMBALAGENS E PRESENÇA FÍSICA E VIRTUAL
O logotipo da Vale das Palmeiras já existia quando chegamos e consideramos que o mesmo já tinha sua própria personalidade. Partimos então para a padronização do uso de uma tipografia, para posteriormente, migrar todos os conceitos desenvolvidos para as mais diversas aplicações. Com isso fomos dos uniformes do laticínio para o Armazém, que  foi embalado com uma roupagem que valorizava as informações da vitrine.


Em relação aos produtos produzidos da Vale, quando chegamos alguns já existiam com embalagens que possuíam diferentes identidades. Começamos a atuar nos rótulos para as embalagens do queijo e requeijão. No final de 2017, em função da nova configuração empresarial que tomava forma, optou-se pela criação de uma nova identidade visual, aplicada inicialmente, nas embalagens valorizando o nome através de uma nova tipografia sem serifa. Mantivemos a imagem do Marcos Palmeira através de uma ilustração e não mais por fotografia. Para essa nova fase, sob a coordenação do Quincas e com direção de criação de Alessandra M. Soares, contamos com a participação dos designers André Travassos, Rodrigo Marchezine e do ilustrador Max Duarte, com produção gráfica de Renato Moura.

DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO VIA PLATAFORMAS ONLINE
A partir de 2018, a Vale das Palmeiras iniciou um novo ciclo, com uma nova estratégia traçada por Marcos e equipe da Campeira/Rehagro (Fábio, Rafael, Quincas e Guilherme Lamego). Com o objetivo de tornar mais acessível todos seus produtos (de laticínos a legumes, frutas e hortaliças) foi estabelecida uma nova parceria com o Clube Orgânico do Rio de Janeio, que passou a assumir toda a logística de entrega com maior comodidade para todos da cidade do Rio de Janeiro. E para este novo momento, fomos apresentando as novidades aos poucos nas redes sociais, até colocar um novo site no ar, que apresenta todo o ecossistema, sua missão, a fazenda, os produtos e parceiros. A coordenação de desenvolvimento e design foi realizado por Cláudio Santos com a produção de textos por Quincas e com a colaboração de Patrícia Reis e Pedro Ayres, além do desenvolvimento pela Nautilos Marketing Digital.


Categoria: Gastronomia, Identidade Visual, Internet, Plataforma, Website em 16/04/2018    


 
Posts Recentes

Plataforma digital para Universidade das Crianças – UFMG

Em 2012, desenvolvemos a primeira versão da plataforma da Universidade das Crianças na tecnologia flash. Em 2016, fomos convidados novamente por Débora D’Ávila, coordenadora do projeto, para reestruturar o site, com novas implementações tecnológicas além de tornar sua navegação amigável com os dispositivos móveis.

O projeto envolve professores / pesquisadores e alunos dos cursos de Belas Artes, Ciências Sociais, Comunicação Social, Ciências Biológicas, Fisioterapia e Medicina, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). No site você  vai encontrar algumas perguntas feitas por crianças, que foram transformadas em programas de áudio e vídeos de animação. Para algumas delas, a ciência tem uma resposta. Para outras, não.  Através de uma navegação horizontal, é possível ver as mídias, os colaboradores e a origem das perguntas.

Acesse o site e divirta-se: http://www.universidadedascriancas.org


Categoria: Animação, Internet, Plataforma, Website em 09/02/2018    


 
Posts Recentes

Indie 2016

Partimos da ideia que vivemos momentos estranhos. OS filmes slecionados para este ano também refletiam isso. O Indie representa a resistência e permanência em meio a toda essa turbulência que vivemos. A escolha do processo da serigrafia para impressão do cartaz, veio por perceber que estes meios de reprodução também remetem a estes conceitos, além de trazer uma ceoncepção de autonomia e as sobreposições que pretendíamos revelar.

Inspirado pela retrospectiva do artista gráfico e cineasta polonês Walerian Borowczyk, criamos a identidade visual do Indie 2016, a partir dos pontos e cores básicas do processo de impressão. A sobreposição de diferentes frequências e ângulos das retículas do magenta e do cyan, proporcionaram camadas e composições gráficas diversas feitas em cima das fotos/frames dos filmes que foram exibidos.

A complexidade da obra do artista e diretor Walerian Borowczyk e o resgate de sua obra através do restauro de todos os seus filmes e o trabalho de difusão (Os filmes de Boro tiveram restrospectiva no LIncoln Center em Nova York, e terão no Centre Pompidou, em Paris, em 2017) foi o assunto do curador Daniel Bird, responsável por este trabalho com os filmes de Borowczyk há mais de 20 anos. Tivemos o aval de Daniel para rediagramar seu Dicionário de Boro, em uma versão reduzida no catálogo..

A vinheta refletiu o processo de impressão em movimento. A partir da estrutura gráfica das retículas e da seapração de cores, junto a uma trilha que juntou elementos e cacos sonoros, a vinheta explorou as possibilidades dessas interpolações.
Produção: Voltz Design | Direção: Claudio Santos Rodrigues | Animação: Leonardo Dutra | Trilha Sonora: Bernardo Bauer | Realização: Zeta Filmes

INDIE 2016 Vinheta BH from Voltz Design on Vimeo.


Categoria: #voltz20anos, Animação, Editorial, Experimental, Identidade Visual, Internet, Mostra, Sinalização, Video em 11/10/2016    


 
Posts Recentes

Website O Grivo

Acabamos de desenvolver o novo site do O Grivo. http://www.ogrivo.com

Agora é possível acessar toda a obra deles através das exposições, performances, trabalhos e músicas. Todas as mídias produzidas e de registro estão disponíveis em um site responsivo na plataforma wordpress. Adaptamos um template para atender toda complexidade e rigor estético da dupla.


Para quem não conhece o duo é formado por Nelson Soares e Marcos Moreira Marcos, em fins de 1990 O Grivo realizou seu primeiro concerto em Belo Horizonte, iniciando suas pesquisas no campo da “Música Nova”. Interessado na expansão do seu universo sonoro e na descoberta de maneiras diferentes de organizar suas improvisações, o grupo vem desenvolvendo sua linguagem musical. Em função da busca por “novos” sons e por possibilidades diferentes de orquestração e montagem, O Grivo trabalha com a pesquisa de fontes sonoras acústicas e eletrônicas, com a construção de “máquinas e mecanismos sonoros”, e com a utilização, não convencional, de instrumentos musicais tradicionais.

Tivemos a oportunidade de trabalhar com eles também desenvolvendo a identidade visual, sinalização e catálogo de Artefatos de Som e Objetos de Medida.


Categoria: Internet em 08/04/2016    


 
Posts Recentes